quinta-feira, 24 de junho de 2010

RESPONSABILIDADE

Email enviado pelo Site Pensamento Positivo

responsavel3 "Não somos responsáveis apenas pelo que fazemos, mas também pelo que deixamos de fazer."

http://www.pensamentopositivo.com.br/reflexoes

terça-feira, 22 de junho de 2010

SARAMAGO

saramago

"Mesmo que a rota da minha vida me conduza a uma estrela, nem por isso fui dispensado de percorrer os caminhos do mundo."

quarta-feira, 16 de junho de 2010

DEFINIÇÕES

definições.jpg

Adriana Falcão

Saudade é quando o momento tenta fugir da lembrança para acontecer de novo e não consegue.
Lembrança é quando, mesmo sem autorização, seu pensamento reapresenta um capítulo.
Angústia é um nó muito apertado bem no meio do sossego.
Preocupação é uma cola que não deixa o que ainda não aconteceu sair de seu pensamento.
Indecisão é quando você sabe muito bem o que quer mas acha que devia querer outra coisa.
Certeza é quando a idéia cansa de procurar e pára.
Intuição é quando seu coração dá um pulinho no futuro e volta rápido.
Pressentimento é quando passa em você o trailer de um filme que pode ser que nem exista.
Vergonha é um pano preto que você quer pra se cobrir naquela hora.
Ansiedade é quando sempre faltam muitos minutos para o que quer que seja.
Interesse é um ponto de exclamação ou de interrogação no final do sentimento.
Sentimento é a língua que o coração usa quando precisa mandar algum recado.
Raiva é quando o cachorro que mora em você mostra os dentes.
Tristeza é uma mão gigante que aperta seu coração.
Felicidade é um agora que não tem pressa nenhuma.
Amizade é quando você não faz questão de você e se empresta pros outros.
Culpa é quando você cisma que podia ter feito diferente mas, geralmente, não podia.
Lucidez é um acesso de loucura ao contrário.
Razão é quando o cuidado aproveita que a emoção está dormindo e assume o mandato.
Vontade é um desejo que cisma que você é a casa dele.
Paixão é quando apesar da palavra ¨perigo¨ o desejo chega e entra.
Amor é quando a paixão não tem outro compromisso marcado.
Não... Amor é um exagero... também não.
Um dilúvio, um mundaréu, uma insanidade, um destempero, um despropósito, um descontrole, uma necessidade, um desapego?
Talvez porque não tenha sentido, talvez porque não tenha explicação,
Esse negócio de amor, não sei explicar.

(roubado do blog da Chuvinha -  http://blairponjinha.blog.uol.com.br/)

segunda-feira, 7 de junho de 2010

FICAR NO APOIO

The-Simpsons-House-x

Pedro Franco

Acho que o cinema tem uma boa denominação para isto: supporting cast. Elenco de apoio.
Não há um bom filme, ou boa novela de televisão , sem um bom
supporting cast. Quem faz bom cinema, ou boa televisão, sabe.
Se os principais atores forem de bom nível, mas se não houver um grupo de apoio,
atores experientes que dão base às estrelas, a obra estará fadada ao fracasso.
Se na arte de representar o fato é notório , na vida comum, no dia a dia das famílias e mesmo no trabalho, é difícil comportar-se como figura de apoio,
principalmente para quem já teve função de mando.
Em firmas, as diretorias ainda podem determinar quem é estrela e quem é apoio.
Nos governos tal fato também sucede. E nas famílias ? Quem sabe ser elenco de
apoio ?
No dia a dia vejo quanto é difícil ser apoio, passar para a segunda linha e deixar quem de direito funcione. Um exemplo : um avô foi pai, ou uma avó foi mãe e
tiveram como função comandar uma numerosa família.

coadjuvantes
Mas o tempo passou, vieram novos personagens, os filhos casaram-se, vieram noras e genros, neto , avós do outro lado e as conveniências podem complicar-se, se cada um não souber buscar seus novos limites, atuar como apoio, sem mais
tentar comandar o espetáculo da vida da família.
Portanto o avô, ou a avó, que pensa ter sabido conduzir sua família (e muitas vezes soube) tem que entender que agora é coadjuvante, auxiliar, base, escada,
supporting cast.
Parece fácil ? Não, não é. Anos e anos na frente da ribalta e agora devem ficar com papéis menores e até atuar por trás das coxias. O Oscar dá prêmios para os
atores coadjuvantes, mas a vida abertamente não.
Mas cada um tem que saber qual é o seu papel naquele momento. Quando se
comportar como estrela? Quando funcionar como apoio ?
Não creio que fórmulas existam. Em cada situação há que pensar, refletir, mas o bom senso determinará que um incendiário comandante em idéias e decisões no passado, que manteve de fato uma liderança familiar, veja com o tempo que de
incendiário terá que virar bombeiro e apagar os possíveis incêndios .
Se alguém pensar que de ator principal em determinados assuntos familiares, precisa virar coadjuvante, esta crônica já teve algum efeito, ainda que não
apresente fórmulas para a arte de conviver em família e mesmo na vida em geral.
Os bons atores do supporting cast sempre encontram emprego e têm sucesso, lembre-se. E são também de enorme importância. .
( Extraído da revista Portal Clube - Amizade Com Poesia, O Jornalzinho )  http://www.imagina.com.br/postalclube )
colaboração de Araci Barreto.