segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Mix__________________________________

Esse  "Mix" é uma idéia que eu trouxe do blog Reflexos Espelhando Espalhando Amigos ,onde eu postava esses fragmentos toda quinta feira. Não estou mais por lá , mas vale a pena dar uma conferida no blog capitaneado por Cathiato Reflexo D'Alma . Tem muita coisa legal ; inclusive as quintas por lá estão bem mais interessan
tes . O endereço é
http://reflexosespelhandoespalhandoamigos.blogspot.com.   Abração !!

*

O PIANO
Piano215

Durante a Idade Média, havia na Europa um instrumento muito parecido com o piano, que se chamava cravo. Ele também operava com teclado, mas tinha um problema: por não ter ressonância, o cravo não podia ser tocado em um lugar muito grande.
Essa limitação desafiou o italiano Bartolomeo Cristofori, que começou a pensar em como adaptar o instrumento. Não foi um trabalho fácil. Ele passou mais de 20 anos tentando, até que, em 1774, aproximadamente surgiu daí o piano, ou melhor, o pianoforte, com diferentes tipos de som.
Austríacos, alemães e ingleses, mais tarde, transformaram ainda mais o instrumento. Técnicas novas foram introduzidas e ele evoluiu até ficar bem parecido com o piano moderno. (fonte: jornal "O Estado de São Paulo", fevereiro de 2011)

*

O JOGADOR
Dostoevskij_1863

O escritor russo Fedor Dostoievski escreveu o romance "O Jogador", ironicamente, para pagar dívidas de jogos. Atormentado em toda sua vida, desde jovem preocupava-se com questões materias, em meio a turbilhão de conflitos internos e espirituais.
Durante certa fase de sua vida, Dostoiévski viveu intensamente a paixão pelo jogo. Por isso, tinha o plano de escrever um livro onde pudesse expor profundamente a psicologia do tipo do jogador profissional.
Em 1866, obrigado por uma cláusula contratual a entregar um novo livro a seu editor, o autor retomou aquele projeto , para, em pouco mais de vinte dias, escrever esta pequena obra-prima.
Ao criar uma trama de enorme densidade e ao mesmo tempo muito divertida, na qual todas as relações são ditadas pelo dinheiro, Dostoiévski conseguiu não apenas realizar seu projeto sobre a psicologia do jogador, mas tecer uma crítica contundente contra o capitalismo.
Em uma carta que escreveu à cunhada de Paris, após contato com a roleta, Fiodor  Dostoiévski revelou conhecer o "segredo do jogo" : ". É preciso unicamente domínio sobre si mesmo",disse ele " e, sejam quais forem as peripécias do jogo, a gente deve evitar o entusiasmo excessivo." Saiba mais em
http://www.lendo.org/dostoievski-por-que-ele-escreveu-o-jogador/ ( fonte : tablóide "O Mundo Mágico da Poesia")

FECHADO NO CRUZAMENTO

(Enviado por Bete )

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O importante é o que você acha :