quarta-feira, 13 de junho de 2012

ABOLICIONISMO

escravo Na França a escravidão passou a ser contestada no século XVIII. A "Declaração dos Direitos do Homem", em 1789, foi um marco na luta pelo abolicionismo.

Na Inglaterra, a condenação à instituição ocorreu através de uma lei da Câmara dos Comuns, de 1833, que foi estendida às colonias em 1838. Em Portugal e suas côlonias,a escravidão passou a ser considerada ilegal em 1878.

Alguns estados hispano-americanos, no momento da independência política emanciparam seus escravos :nos EUA,em 1862, a escravidão foi abolida pelo congresso e, em 1865, uma emenda constitucional ratificou essa disposição.

A partir de 1870, o Brasil era praticamente o único país do Ocidente em que perdurava a escravidão, que só foi abolida em maio de 1888. A abolição da escravatura no Brasil, no entanto, não representou uma ruptura no processo de exploração dos negros.

Internacionalmente, ainda hoje a questão permanece em aberto, não só porque a abolição em muitos países limitou-se a eliminar a condição jurídica, permanecendo a situação social do ex-escravo, como existem, atualmente, em muitas regiões do globo, relações de trabalho bastante semelhantes à escravidão.

Segundo o Conselho Econômico e Social da ONU, cerca de 10 milhões de pessoas viviam como escravos em 1965 e segundo o site Só História, hoje em dia tem pelo menos 27 milhões escravos no mundo . ( in "Grande Enciclopédia Larousse Cultural)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O importante é o que você acha :