sábado, 9 de março de 2013

MIX

GEORGE SAND E CHOPIN

chopin05

Frederic Chopin conheceu George Sand em 1836,aos 26 anos.Na época,a escritora era uma mulher bem mais velha. Sand era uma figura estranha,vestia-se como um homem e fumava charuto.

A despeito de sua grande paixão por George Sand, a impressão inicial de Chopin foi horrível. Ele disse: "que repulsiva mulher é aquela Sand.Ela é realmente,uma mulher? Estou inclinado a duvidar".

Mesmo assim viveram juntos de 1938 a 1847.A relação, desde o ínicio foi bem complicada e tumultuada.Foi nos anos 1839/1840,quando viviam entre Paris e Nohant,que Chopin compôs sua famosa e grande "Sonata nº 2 em si bemol menor " e é a que contém a famosa Marcha Fúnebre.

Saiba mais em http://www.diversificando.kit.net/postsgeorgefrederick.htm    (Ilka Jardim,"Chopin,o poeta do teclado",Revista Literária Plural,ano 6,nº 04)

-

PENTE

PENTEimages

A palavra "pente" provém do latim pecten. O verbo pectinare tomou rumo curioso em terras francesas. Na França do século XVI havia uma peça de roupa chamado peignouoir, que se colocava sobre os ombros após o banho, e ali ficava enquanto os cabelos eram penteados (em francês, "pentear" é peigner). Era um manto "para (o uso de) pente". No século XIX, peignoir perdeu essa função e passou a designar vestimenta feminina caseira usada sobre a roupa de dormir.

Antigos dicionários da língua portuguesa   associam  "pentelho" a "pente". O acréscimo do sufixo -elho indicaria diminutivo. Como a palavra nasceu nas ruas, os acadêmicos não sabem explicar a exata relação entre uma e outra. (Gabriel Perissé,"Qual é o pente que te penteia?", blog Palavras e Origens, http://palavraseorigens.blogspot.com.br/)

-

TANCREDO NEVES

200px-Tancredo_Neves

Tancredo de Almeida Neves GCTE (São João del-Rei, 4 de março de 1910 — São Paulo, 21 de abril de 1985) foi um advogado, empresário e político brasileiro, tendo sido primeiro-ministro de 1961 a 1962, ministro da Justiça e Negócios Interiores de 1953 a 1954, ministro da Fazenda em 1962, e Governador do estado de Minas Gerais de 1983 a 1984.

Bacharelou-se em Direito pela Universidade Federal de Minas Gerais, ingressando na política pelo Partido Progressista (PP), pelo qual foi eleito vereador em São João del-Rei em 1935, cargo que exerceu até 1937.Elegeu-se deputado estadual (1947-1950) e deputado federal (1951-1953). Passou a atuar no ministério a partir de 25 de junho de 1953, exercendo os cargos de Ministro da Justiça e Negócios Interiores até o suicídio do presidente Getúlio Vargas.

Em 1954, foi eleito novamente deputado federal, cargo que ocupou por um ano. Foi nomeado primeiro-ministro com a instauração do regime parlamentarista, logo após a renúncia do presidente Jânio Quadros. Ocupou o cargo de 1961 a 1962. No ano seguinte, voltou a ser eleito deputado federal.

Foi um dos líderes do Movimento Democrático Brasileiro (MDB), partido criado em 27 de outubro de 1965, a partir do AI-2, que decretou a extinção de todos os partidos políticos até então existentes e instituiu o bipartidarismo. Foi reeleito deputado federal seguidas vezes entre 1963 e 1979.

Após a volta do pluripartidarismo, Tancredo foi senador pelo MDB em 1978 e fundou o Partido Popular (PP), partido pelo qual continuou exercendo o mandato até 1982. No ano seguinte, ingressou no Partido do Movimento Democrático Brasileiro (PMDB) e foi eleito governador de Minas Gerais (1983-1984).

Em 1984, Tancredo aceitou o desafio de se candidatar à Presidência da República, com o apoio de Ulysses Guimarães. Em 15 de janeiro de 1985 foi eleito presidente do Brasil pelo voto indireto de um colégio eleitoral, mas adoeceu gravemente, em 14 de março do mesmo ano, véspera da posse, morrendo 39 dias depois, sem ter sido empossado, tendo sido vítima, oficialmente, de diverticulite.

Em julho de 2012, foi eleito um dos "100 maiores brasileiros de todos os tempos" em concurso realizado pelo SBT com a BBC de Londres. ( Fontes: Livreto  "O Que Vai Pelo Mundo,1985" e Wikipedia)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

O importante é o que você acha :