quinta-feira, 30 de maio de 2013

SAULO FONG


"Quando os japoneses consertam cerâmicas quebradas, eles exaltam o dano preenchendo as rachaduras com ouro. Eles acreditam que, quando algo já sofreu danos e tem portanto uma história, torna-se mais bonito e único." -
Saulo Fong

kintsugi

http://www.facebook.com/SauloNagamoriFong

quarta-feira, 29 de maio de 2013

O PAPA MAIS JOVEM

168032243

O homem mais novo a receber o título de sumo pontifíce da Igreja Católica foi também o que mais vezes ocupou o trono da Santa Sé: em três ocasiões o nobre romano Teofilato de Tusculana (1020-1056) foi empossado como Benedito IX. No início do primeiro mandato,em 1032,ele era uma criança de 12 anos.

Teofilato só se tornou líder da igreja porque pertencia à importante família Tusculana,de Roma - e era aparentado a dois papas anteriores, João XIX e Benedito VIII.Naquela época os papas eram eleitos pela influência de nobres poderosos.

Nas disputas políticas entre as famílias dentro do Vaticano havia até assassinatos. Numa dessas disputas eclesiásticas,em 1044,Benedito IX foi afastado sob a acusação de ter um comportamento sexual pouco condizente com sua condição de homem santo.

No seu lugar assumiu Silvestre III,da família rival Crechenti.Mas Benedito excomungou o substituto e voltou ao Vaticano.Novamente no poder,vendeu o cargo de papa a um padrinho,que assumiu em 1045,como Gregório VI.

O imperador Henrique III,do Sacro Império Romano Germânico,que reinava sobre a Itália e a Alemanha,destituiu Gregório e nomeou o seu protegido Clemente III - que morreu misteriosamente oito meses depois. Benedito,então com 27 anos,aproveitou a chance e convenceu o Conselho dos Bispos a reelegê-lo para o terceiro mandato.

A confusão só acabou em 1049,quando Leão IX assumiu o papado e regularizou as eleições para o cargo restringindo as influência dos nobres. (Revista Super Interessante nº 155,agosto de 2000)

Extraído do jornal 'O Garimpo',ano III, junho 2007,editado por Cosme Custódio da Silva, Salvador, BA - http://www.ube.org.br/biografias-detalhe.asp?ID=210

segunda-feira, 27 de maio de 2013

MISTÉRIO

porta

“A coisa mais bela que podemos experimentar é o
mistério. Essa é a fonte de toda a arte e
ciências verdadeiras”.

Albert Einstein, físico, cientista mais importante do século XX, EUA, 1879-1955

F A R M Á C I A D E P E N S A M E N T O S
www.farmaciadepensamentos.com
fpensa@farmaciadepensamentos.com
Sonia Aguiar

domingo, 12 de maio de 2013

Imperfeita: ontem, hoje e sempre

158736191 Regina Volpato

Há apenas alguns meses trabalhando ao vivo na TV o que me chama a atenção é o tanto que se valoriza “o que não dá certo”. Boas entrevistas, convidados interessantes, conversas um pouco mais profundas têm repercussão muito menor do que os deslizes. Acho curioso porque na minha opinião, é justamente neste momento que a Vida se faz presente. É quando o roteiro falha que a Vida acontece de fato.

“O que não dá certo”, o que não estava previsto e, portanto, o que é espontâneo é a graça da coisa. É aí que Vida se manifesta. “O que não dá certo” pode ser entendido como a única parte que deu certo, que é real. Que aconteceu porque tinha que acontecer. Sem respeitar determinações prévias.

A Vida quase nunca segue o script que desejamos. A todo momento nos vemos às voltas com o imprevisto, com “o que não dá certo”. Isso nos obriga a desenvolver a criatividade quando se busca uma vivência saudável. São os momentos em que nos superamos e somos obrigados a nos curvar frente a força dos acontecimentos. Observando a importância que se dão às nossas ‘gafes’ no programa Manhã Maior, exibido pela Rede TV! diariamente das 9 às 11 da manhã, vejo como os imprevistos e, portanto a Vida, podem assustar. Talvez a falsa ilusão de não saber contornar a situação possa desencadear um comportamento controlador e rígido. Consigo e com os outros. Talvez… não sou estudiosa no assunto. Sou só uma jornalista pensando.

Há muito tempo desisti de ser divina. Após muitas lágrimas e sessões de terapia consegui incorporar minha porção barro. Foi uma vitória e tanto! Um passaporte para minha liberdade. Sinto que assumir minha porção humana, que erra, esquece, confunde, pode soar como afronta. Paciência. Vivo melhor assim. Não sou perfeita. Nunca fui. Aproveito o embalo para dizer, também, que nunca fui santa.

Tenho medo de quem acredita/quer ser perfeito. Teve uma época em que eu tentava ser. Foi um desastre. Infelicidade total. Com 43 anos começo a desfrutar de alguma sabedoria recolhida durante minha existência. Uma delas? Ter a coragem de admitir que sei o que eu sempre soube. Que sou imperfeita e inacabada. Em constante transformação. A Regina de hoje não é a de ontem. Nem a de amanhã.

Tenho medo de quem não tem compaixão. Tenho medo de perder a saúde. De governo desorganizado. Medo de mim, quando fico furiosa. Das más intenções. De quem não tem bom humor. Não me assusta errar. Acho engraçado, consigo rir de mim mesma com facilidade. Também não tenho vergonha de ser espontânea. Desprendida. De ter rugas. Não tenho medo de ter medo. Não tenho medo de viver desarmada. Aposto na minha sensatez. E adoro quando me permito ser um pouco insensata. Perfeição? Isso para mim é ser escravo; cristalizado. É morte em vida.

in: http://blog.reginavolpato.com.br/

quarta-feira, 8 de maio de 2013

ENVELHECER

158481018 Milton Hênio

Alguém já disse que envelhecer é desinteressar-se. Confesso que tenho medo louco de me desinteressar das paisagens,dos seres,do mistério da vida.

Não é tanto o reumatismo tolhedor que me preocupa.Mais do que a lápide,temo perder a minha civilizada curiosidade,o meu profundo amor ao inédito,ao inconfigurado. Por isso faço exercícios cotidianos de adaptação,subo e desço as escadas do tempo,e vou aprendendo as lições do abismo segundo Júlio Verne, o mestre de todos nós,o poeta infinito.

Se é verdade que seremos tão velhos quanto nossas artérias,também é certo que nos manteremos tão jovens quanto a nossa admiração.Juventude quer dizer encantamento...

( Milton Hênio, in "Notas Literárias",jornal editado por Ari Lins Pedrosa )

sábado, 4 de maio de 2013

MIX

KOMBI

kombi-casa-7

"...Esse anacronismo automotivo chamado Kombi,saiu do forno em 1950,quando a Volkswagen comprou a idéia do holandês Ben Pon de uma perua com chassis de fusca.No Brasil,o trambolho começou a ser montado em 1953,com peças importadas e a partir de 1957,com 50% de peças nacionais.

Dizem que está para sair de linha.Das fábricas que havia pelo mundo,resta a brasileira,que em outros tempos,aprovisionou vários países.Hoje só a Inglaterra compra."    (Humberto Werneck, "A perua vã", jornal O Estado de São Paulo, setembro de 2012)

Saiba mais em http://pt.wikipedia.org/wiki/Volkswagen_Kombi

-

HERMAFRODITA

800px-Borghese_Hermaphroditus_Louvre_Ma231_n4

A medicina e a biologia empregam as palavras hermafrodita ou androgino para descrever um ser com órgãos sexuais masculinos e femininos. Esta condição física,rara entre os seres humanos é encontrada no reino vegetal - no lírio,por exemplo - e entre certos insetos e invertebrados,como as minhocas.

Do ponto de vista evolutivo, aceita-se que o hermafroditismo tenha sido a forma que a natureza usou para a reprodução das espécies antes de efetuar a separação sexual entre os seres,tornando-os masculinos e femininos.

A palavra hermafrodita origina-se de Hermafrodite,nome de um ser mitológico parte masculino,parte feminino. Segundo a lenda, Hermafrodite era um belo jovem,filho de Hermes e Afrodite.

Um dia, quando se banhava na fonte de Salmacis,em Creta,foi visto pela ninfa das águas daquele lugar:esta,apaixonando-se por ele,agarrou-o e implorou aos deuses que a deixassem ficar unida a Hermafrodite por toda a eternidade.

Seu pedido foi atendido e resultou na formação de um ser meio homem,meio mulher. Esta história foi narrada pelo poeta romano Ovídio (43 a.C) ( Elsie Dubugras,"A Fusão dos Sexos",revista O Melhor de Planeta,editora Três,número 1 )

ilustração : Hermafrodito, estátua romana (c. 200d.C.), cópia de um original grego. O leito foi adicionado por Bernini em 1516.

-

ROCINHA

City-Tour-com-Guia-na-Rocinha-Rio-de-Janeiro-RJ

O nome Rocinha,de uma das favelas mais famosas do Brasil,localizada na zona sul carioca, é controverso. Depoimentos de moradores mais antigos,que começaram a chegar ao local na segunda década do século passado,sugerem que a denominação se deve às pequenas chácaras ali existentes.

Os primeiros invasores da área vendiam legumes na Praça Santos Dumont. Lá diziam,que o produto vinha da "rocinha do morro"  (Pedro Dantas,"Invasão da Rocinha vai abalar maior empresa do crime organizado no Rio",jornal O Estado de São Paulo,13 de novembro de 2011)