segunda-feira, 26 de agosto de 2013

AS GAROTAS DO ALCEU

Gabriela Ordones Penna

64814_429340547148398_1277400781_n Na esteira da Segunda Guerra Mundial (1939-1945), um grupo de garotas brasileiras resolveu revolucionar os padrões de comportamento feminino tentando substituir o recato pela ousadia, namorando vários rapazes, praticando esportes, mostrando os corpos em praça pública. Eram conhecidas como “As Garotas do Alceu”, e se tornaram ícones de moda e comportamento para a juventude brasileira no pós-guerra. Alceu Penna (1915-1980) foi o artista gráfico que, entre 1938 e 1964, assinou uma coluna ilustrada na revista O Cruzeiro, famosa pelo apelo malicioso, fazendo subir a temperatura da então maior publicação ilustrada do gênero no Brasil.

A moda e o corpo seguem os padrões da época em que estão inseridos. As formas desnudadas das garotas na coluna caminhavam paralelamente ao desejo de um casamento nos moldes tradicionais. Se, por um lado,
“As Garotas” manifestavam a ousadia de namorar a seu bel-prazer, por outro estavam imersas num contexto em que ser esposa e mãe era o caminho mais natural de uma jovem de boa reputação.

O Cruzeiro foi lançada em 1928, no Rio de Janeiro, como “a primeira revista ilustrada de circulação nacional”. Ao lado de Alceu Penna, contava com colaboradores de peso, como Anita Malfatti (1889-1964) e Manuel Bandeira (1886-1968), além de marcantes seções de humor, como o “Amigo da Onça” e “Pif Paf”, de Millôr Fernandes (1923-2012). O trabalho de Alceu Penna para O Cruzeiro ganhou maior destaque a partir da seção “Portifólio Modas”, quando seu nome se torna a referência em moda dentro e fora da publicação, acompanhando as novidades internacionais.

alceu-penna-8 Nada disso foi comparável ao frisson causado pela coluna “As Garotas do Alceu”, que lançou as primeiras pin-ups do país, inspiradas nas “Gibson Girls”, criação do norte-americano Charles Gibson (1867-1944), que fizeram história entre o final do século XIX e as primeiras décadas do século XX. A coluna chamava a atenção pelas cores vibrantes e por seu apelo gráfico, ainda mais em uma revista onde predominava o preto e branco.

Tal estética estava em consonância com os avanços da indústria impressa no Brasil e, mais ainda, com a modernidade encarnada pelas figuras das pin-ups – mulheres de boca carnuda e olhos grandes, voluptuosas, arejadas e, sobretudo, sensuais. Distante do padrão conservador até então imposto às brasileiras, o modelo das pin-ups permitiu a Alceu Penna equilibrar ousadia e recato, construindo uma imagem inspiradora para as mulheres da época.

A coluna era composta de textos e ilustrações, e durou 26 anos, mas a ousadia das figuras ficou mais evidente entre 1938 e 1957, período de colaboração dos redatores Accioly Netto (Lyto), Millôr Fernandes (Vão Gôgo), Edgar Alencar (A. Ladino) e do próprio Alceu Penna.No último ano, a entrada da redatora Maria Luiza deu aos textos um ar conservador, explorando mais temas como casamento, filhos e boas maneiras.

CONTINUE LENDO "AS GAROTAS DO ALCEU" EM http://www.revistadehistoria.com.br/secao/perspectiva/e-moderno-ser-gostosa

Saiba mais em http://www2.uol.com.br/modabrasil/biblioteca/grandesnomes/alceu/

quarta-feira, 21 de agosto de 2013

1º de janeiro: Dia da Confraternização Universal e da Paz

77997437

O primeiro dia do ano pelo calendário da Era Comum foi escolhido pela Organização das Nações Unidas para promover a fraternidade universal. Para todos os povos, é tempo de recomeçar

A chegada de um ano sempre desperta a expectativa pela abertura de um novo ciclo, cheio de transformações.

Nessa época, verbos como recomeçar, reconstruir, repensar e tantos outros “re” parecem fazer mais sentido do que no restante do tempo. Simpatias e tradições reforçam ainda mais esses significados em torno da festa: comer lentilha, pular ondas, vestir branco.

Ao brindar o recomeço, além de sorte, também são bem-vindos os desejos de paz e fraternidade.

Em 1968, o papa Paulo VI escreveu uma mensagem lançando a ideia da comemoração do Dia Mundial da Paz.

77999862

No texto, sugeria que esta não fosse uma comemoração exclusivamente católica, mas que ganhasse adesão ao redor do mundo com “caráter sincero e forte de uma humanidade consciente e liberta dos seus tristes e fatais conflitos bélicos, que quer dar à história do mundo um devir mais feliz, ordenado e civil”.

Ainda que desde 1981 o Dia Internacional da Paz seja comemorado em 21 de setembro, a data de 1º de janeiro é reconhecida pela ONU como o Dia da Confraternização Universal, ou seja, do diálogo e da  paz entre os povos.

A palavra francesa Reveillon significa “acordar” e era usada no século 17 para designar jantares longos e chiques realizados durante o ano.

Com o tempo, acabou popularizando-se como sinônimo da festa de passagem de ano.

106683161

A comemoração do Ano-Novo tem sua origem intimamente ligada à natureza.

Dois mil anos antes da era cristã, os antigos babilônios festejavam a entrada de um novo ciclo anual no início da primavera no hemisfério norte, que equivaleria ao dia 23 de março do calendário cristão.

Nessa época, era feita a plantação de novas safras, daí a noção de reinício, preservada até hoje.

Fonte: Procuradoria Regional da República 4ª  Região – com informações de Scritta e Themis.
http://www.turminha.mpf.gov.br/nossa-cultura/datas-especiais/1o-de-janeiro-dia-da-confraternizacao-universal-e-da-paz

domingo, 11 de agosto de 2013

DESTRALHAR

Autor Desconhecido

173655181

Destralhar... Você já conhecia este verbo?
Já ouviu falar em toxinas da casa?

- objetos que você não usa.
- roupas de que você não gosta ou não usa há anos.
- coisas feias.
- coisas quebradas, lascadas ou rachadas.
- velhas cartas, bilhetes.
- plantas mortas ou doentes.
- recibos/jornais/revistas antigos.
- remédios vencidos.
- meias velhas, furadas.
- sapatos estragados.

Ufa, que peso!

O "destralhamento" é a forma mais rápida de transformar a vida e ajudar as outras eventuais terapias.

Com o destralhamento,a saúde melhora, a criatividade cresce, os relacionamentos se aprimoram. É  comum sentir-se cansado, deprimido, desanimado, em um ambiente cheio de entulho, cheio de tralha,  pois  "existem fios invisíveis que nos ligam a tudo aquilo que possuímos".

Outros possíveis efeitos do acúmulo e da bagunça:
- sentir-se desorganizado, fracassado, limitado e apegado ao passado.

> No porão e no sótão: As tralhas viram sobrecarga.
> Na entrada: Restringem o fluxo da vida.
> Empilhadas no chão: Nos puxam para baixo.
> Acima de nós: São dores de cabeça.
> Sob a cama: Poluem o sono.

Perguntinhas úteis na hora de destralhar:
1- Por que estou guardando isto?
2- Será que isto tem a ver comigo hoje?
3- O que vou sentir ao liberar isto?

E vá fazendo pilhas separadas para doar e para jogar fora!

Para destralhar ainda mais:
- livre-se de barulhos
- das luzes fortes
- das cores berrantes
- dos odores químicos
- dos revestimentos sintéticos

E também libere mágoas e termine projetos inacabados.

As frutas nascem azedas e vão ficando docinhas com o tempo. A gente deveria de ser assim!  Destralhar ajuda a adocicar.

 ENVIADO POR ANA MARIA

sábado, 3 de agosto de 2013

A importância de ser e de ter amigos

:: Silvia Malamud ::

images Ter e ser amigo são experiências das mais profundas que se pode viver. Traz sentimento de liberdade, de poder se expor e de compartilhar experiências de modo totalmente espontâneo e franco, ao mesmo tempo que íntimo. Neste tipo de relação de confiança recíproca, amigos espelham-se um no outro e a partir disso costuma acontecer a dança de papéis onde ora se é o amigo, ora o irmão, ora o pai, ora a mãe e por aí vai, tudo no intuito da ajuda mútua.

Mas como chegar nesse lugar? É fácil? Simples? Como estamos no quesito amizade em pleno século XXI?
- Na filosofia política do mundo grego, a amizade entre os cidadãos era o vínculo de coesão da sociedade, hoje, porém, representam sinônimos de relações vazias e superficiais. Será?

Na amizade real, a sensação que fica é a da liberdade de poder se expressar naquilo que estamos sendo no momento e como consequência, esclarecimento maior sobre nós mesmos e sobre a vida.  O não-julgamento do amigo, mais o centramento provocado pela luminosidade do encontro permite expansão genuína de amor, respeito e cumplicidade somados à expansão das afinidades.

O encontro amigo evoca rompimento com inúmeros preconceitos e certamente nos farão pensar sobre outros tantos dogmas por nós navegados de modo cego. A aceitação do outro leva ao conhecimento inequívoco de nós mesmos. Na amizade sincera, é inevitável todos saírem da própria superficialidade cedendo lugar à maior intimidade e aprofundamento em si mesmo. Logo no início das amizades, muitas pessoas imaginam-se íntimos e profundos, mas ainda estão à beira de um processo onde fatalmente ocorrerão as brigas e desacordos, constructos de relacionamentos maduros, para que aprendizados se estabeleçam.

Uma amizade salutar ou mesmo um grupo de amigos saudáveis promove autoconhecimento diferenciado. É através das relações de amizade que se consegue transitar nos mais diversos ambientes emocionais e onde paradoxalmente se aprende a ter autonomia sobre todo tipo de escolha, inclusive, sobre as próprias amizades.

78002498 Muitas vezes, procura-se algo no outro sem saber ao certo o que se deseja. Hoje em dia, a busca parece que está em se obter multidões de amigos provocando o armazenamento dos mesmos, vide facebook. A exposição é máxima, porém, a falta do conhecimento do que faz sentido, do que é verdadeiro e íntimo acaba imperando e colaborando para aumentar todo tipo de ansiedade.

Na frenética e ainda inconsciente sede do encontro consigo mesmo, muitas vezes é pelo intermédio do outro que a virada ocorre, ou seja, que o encontro genuíno se revela. Num repente e, nunca desapercebidamente, o sagrado de estar com um amigo de verdade é sentido e vivenciado emocionantemente. Ter muitos amigos, porém, não significa que você tenha amigos de verdade.


Amigos de verdade querem o seu bem e estão com você tanto na chuva, quanto na dor, quanto na alegria.

Amigos falsos lhe usam apenas para que você possa alegrar a vida deles, dar mais dinamismo, escutar continuamente problemas que nunca mudam. Amigos falsos não sabem ouvir, não têm essa capacidade. Amigos falsos lhe usam para não saírem sozinhos ou mesmo o levam nos lugares apenas e tão-somente para competir com você. Para você dar suporte, a fim de que se sintam minimamente melhores do que os outros e do que você.

Observe o tipo de amizade que você tem atraído para si mesmo e, se tiver alguma questão em relação, reflita o porquê disso tudo. Honestamente, pergunte-se também que tipo de amigo você tem sido? No final, veja se o que deseja para sua vida está compatível com as amizades que tem.


170410320 Evoluir é o caminho, já pensou onde você está nisso tudo? Quando não se identifica com as amizades, quando frequentemente se sente usado pelos amigos ou mesmo quando é constante a perda dos mesmos, um processo de terapia em busca de autoconhecimento é altamente indicado. Quando se está só e sem amigos, também é um bom motivo para começar a se questionar e ver o que acontece.

Ninguém vive sozinho. Conhecemo-nos através da relação que temos com o outro. Quando não há relação alguma, há o que se pensar a respeito. Por isso mesmo, iniciar uma relação com um terapeuta muitas vezes serve de laboratório transicional para superar dificuldades desta ordem. Nestes casos, as pessoas que iniciaram terapia comentam que deviam ter começado muito antes. Não tinham noção de como carregavam traumas e inserções de culturas familiares, desde a infância, fazendo-os ser o que são hoje.

Tem muita coisa que comanda a vida das pessoas e elas não sabem de onde vem e mesmo quando sabem, se estão sozinhas, tem dificuldades para mudar.

175635831 Muitos ainda não almejam mudanças, por pior que sejam seus contextos, permanecendo no conhecido Modelo de vida único = script = certeza e segurança = vida morna. Precisamos da conquista de vários modelos para nos proporcionarmos transcendência. Portanto, amigos, amigos, amigos = modelos, modelos, modelos.

 A questão não é a conquista do diferente, mas a conquista de ser você mesmo, de descobrir o que se gosta, o que não se gosta e na sequência, de usufruir de tudo com sabedoria. Ter amigos, ser amigo, ser seu melhor amigo. Autoconhecimento, amor, vida.

(http://somostodosum.ig.com.br/conteudo/c.asp?id=12064)

imagens : getty images